Uma narrativa videográfica de Joke de Stefano Scodanibbio baseada na Teoria da Imaginação da Escuta de Denis Smalley

Autores

  • José Roberto Imperatore Vianna Universidade Estadual de Maringá
  • Rael Bertarelli Gimenes Toffolo Universidade Estadual de Maringá

Palavras-chave:

Visual Music; Denis Smalley; Joke; Stefano Scodanibbio; contrabaixo.

Resumo

O presente texto discute a criação da vídeo-arte Joke para contrabaixo de Stefano Scodanibbio interpretada por Autor, a partir do conceito da Visual Music — que tem como precursores artistas como Norman McLaren e Oskar Fischinger. Após breve contextualização do compositor e sua obra, apresentamos considerações sobre o conceito de Visual Music, o relacionamento com o campo das artes híbridas e com aspectos da sinestesia, que serão importantes para o entendimento de como as teorias envolvidas deram embasamento para a narrativa videográfica aqui proposta. Posteriormente, descrevemos procedimentos utilizados para analisar as relações entre som e imagem na vídeo-arte Joke a partir dos conceitos de Campos e Redes Indicativas da Teoria da Imaginação da Escuta de Denis Smalley. Acreditamos que tais formas de relacionamento podem contribuir para o estudo dos significados perceptivos que ocorrem na relação entre o sonoro e o visual, em especial no contexto da arte contemporânea.?

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Bosseur, J.-Y. 1998. Musique et arts plastiques. Paris: Minerve.

Caznok, Y. B. 2015. Música: entre o audível e o visível. São Paulo: Editora Unesp.

Coulter, J. 2010. Electroacoustic Music with Moving Images: the art of media pairing. Organised Sound, 01(15):26–34.

Domingues, D., editor 2009. Arte, Ciência e Tecnologia: Passado, presente e desafios. São Paulo: Editora UNESP.

Estrada, J. 2016. Conversación con Stefano Scodanibbio. Perspectiva interdisciplinaria Del laboratório de creación musical, 1(1):54–88. Ciudade de México: SUICREA-UNAM.

Fishinger, Oskar 1938. An Optical Poem. Metro Goldwyn Mayer. 1 curta metragem (7 min), son., color.

Glusberg, J. 2011. A arte da Performance. São Paulo: Ed. Perspectiva.

Lopes, D. M. M. 2001. The Ontology of Interactive Art. Journal of Aesthetic Education, 35(4):65–81.

Mollaghan, A. 2015. The Visual Music Film. New York: Palgrave MacMillan.

Satlz, D. Z. 1997. The Art of Interaction: Interactivity, Performativity, and Computers. Journal of Aesthetics and Art Criticism, 55(2):117–127.

Schaeffer, P. 1966. Traité des Objets Musicaux. Paris: Éditions du Seuil.

Scodanibbio, Stefano. 1983. Sei studi per contrabbasso solo. [Manuscript]. Library of University of Illinois at Urbana-Champaign.

Scodanibbio, Stefano. 2019. Andrea Lambertucci (editor). Stefano Scodanibbio WebSite. Retrieved from URL: http://www.stefanoscodanibbio.com/

Smalley, D. 1986. “Spectro-morphology and Structuring Processes”. Emmerson, S., editor, The language of Electroacoustic Music, 61–93. New York: Harwood academic publishers.

Smalley, D. 1996. The listening imagination: Listening in the electroacoustic era. Contemporary Music Review, 13(2):77–107.

Toffolo, R. B. G. and de Oliveira, A. L. G. 2005. Uma abordagem atuacionista da tipo-morfologia de Pierre Schaeffer. Anais do Simpósio de pesquisa em Música. 131–145. Curitiba: IA-UFPR.

Turetzky, B. 1974. The contemporary contrabass. Berkeley: University of California Press.

XXXX, X. 2015. Joke from sei studi per contrabbasso solo. [video]. Retrieved from URL: https://www.youtube.com/xxxxxxxxxx

Publicado

2021-05-27

Como Citar

Imperatore Vianna, J. R., & Bertarelli Gimenes Toffolo, R. (2021). Uma narrativa videográfica de Joke de Stefano Scodanibbio baseada na Teoria da Imaginação da Escuta de Denis Smalley. MusiMid: Revista Brasileira De Estudos Em Música E Mídia, 2(1), 121-143. Recuperado de http://www.musimid.mus.br/revistamusimid/index.php/musimid/article/view/42

Edição

Seção

Artigos